BLOGGER TEMPLATES AND TWITTER BACKGROUNDS »

Keep Going!

sábado, 5 de junho de 2010

Hey girls (aviso de post comprido)

Não morri.
Tb não abandonei o blog. Só que nos últimos dias (ou meses, ou anos) fui tomada de um desânimo sem comparação que me faz não ter oq escrever.
De verdade, isso não me incomoda.
O que ocorre, na verdade, é que nada me anima o suficiente pra ter qualquer tipo de reação. Nem meu total fracasso social, nem meu provável fracasso acadêmico.
Nem os números subindo descontrolados na balança.
Quando eles sobem, eu fico chateada - não o suficiente pra reagir. Quando eles voltam atrás, eu fico levemente surpresa e continuo a comer.
Obviamente, faz um tempo desde a ultima vez q encarei um espelho.
Faço isso daquela forma superficial, sabem? Preciso pentear o cabelo. Paro em frente ao espelho, penteio, observo superficialmente se ele não está muito horrível e saio, sem me encarar nos olhos nem uma vez. Estou com umas feridas horrendas na cara - cravos q espremi e viraram, sei lá, gangrenas quase (exagero, mas de fato, está horrivel), e meu cabelo, preciso confessar, tem dias q não vê um shampoo. Eu diria q é porquice minha, mas quem tem depressão ou mesmo é bipolar sabe: existem aquelas épocas que abrir o armário e procurar uma blusa limpa exige um esforço homérico.
Já tem um tempo que não me esforço mais.
Estou no trabalho, by the way - e acho q é por isso q estou postando. Não fazem nem duas horas que estou aqui, o trabalho está acabando e o lazer tb - já li blogs, já mexi até na minha bimbo (Miss Bimbo agora criou um serviço VIP pra usuários pagantes, tá virando um stardoll). Não tem mais o q fazer, então to blogando. Não que o blog não seja importante pra mim - faz parte da minha história. Mas sempre q to em casa, pensando em postar, o desanimo é bem maior doq agora, qdo tenho de me esforçar pra estar aqui, sentada nessa cadeira, num bairro chique de Curitiba onde as pessoas me olham mais torto do que no resto da cidade. Aqui no trabalho não - me tratam como se eu não tivesse esse buraco na cara, nem como se meu cabelo parecesse um monte de arame, mas como se eu fosse gente - mas isso não funciona bem no resto do bairro, ou no resto do mundo.
By the way, isso ajuda uma teoria minha - que as pessoas que convivem comigo diariamente - forçadamente - parecem gostar mais de mim qdo eu to mais feia. Talvez seja pena da menina esquisita, ou talvez seja segurança - as meninas não se sentem ameaçadas e os caras não sentem uma tentativa de sedução. Claro q nenhum deles sabe o verdadeiro motivo - q eu odeio ser rejeitada, então nem perco tempo me esforçando em seduzir ou competir, já q eu sempre perco.
Antes q vcs me digam pra tentar, eu já tentei. Demais.

A vontade de chorar está sempre aqui, mas eu engulo. Francamente. Ter um namorado, por exemplo, nunca me incomodou severamente. Mas as vezes me chateia e eu tenho q ouvir "vc não vai arrumar um namorado fechada em casa e jogando miss bimbo". Eu sei. Eu sei, porra. Mas vejam o meu raciocínio, como funciona:
1. Eu me animo. (provável)
2. Eu vou pra balada (um pouco menos provável)
3. Conheço alguém interessante (bem menos provável)
4. Essa pessoa tb se interessa por mim (realmente, realmente, muito menos provável)
5. A coisa começa a andar. Então um dia, sem aviso, eu surto e a pessoa compreende que não dá pra se relacionar comigo pq eu sou maluca. Isso depois de todas as fases: depressão, apatia, ódio, revolta, e por fim, eu faço algo realmente estúpido que ofende bastante a pessoa quando tudo parece estar bem. Se os quatro primeiros passos ocorressem, o quinto ia ocorrer mais certamente ainda.

Então, sim, estou sendo uma covarde. Pq não quero sofrer mais. O que sinto agora é horrível, mas ainda assim tenho medo que piore.

Eu não pensava mais tanto nele. Assim, claro que ainda o amo, mas era uma coisa... normal (estranho isso, vindo de mim). Mas nos últimos tempo, eu percebi q sinto falta não só dele, como de morrer por ele, de sangrar por ele, de ser doente por ele. E bem ou mal (voltaríamos a velha discussão se ele lesse isso) ele alimentava minha doença. Eu fico tentando amenizar e coloca-lo de bonzinho na minha cabeça pra não falar mal dele aqui, mas foda-se, não estou falando mal. Eu realmente acho q ele é uma boa pessoa. Só q é uma boa pessoa que não admite q erra =P Enfim, a coisa é q eu sinceramente acho q ele alimentava o meu sentimento enquanto era conveniente #prontofalei. Não acho que ele não gostasse de mim como amiga, de verdade. Mas se gostasse tanto quanto demonstrava, não teria ido embora. Acho q ele se dá desculpas bem convincentes. Mas "não estou entrando na internet" soa bem melhor do que "Eu gosto de vc, mesmo. Mas vc é completamente maluca e obsessiva e eu não consigo me relacionar com vc - nunca sei quando dá sequer pra falar com vc sem receber acusações. Com a A., por outro lado, eu estou numa boa e tenho a vida confortável e acomodada que eu sempre quis. Ela não fica apontando meus defeitos nem me acusando de nada, pode até ser pq eu a amo, mas veja - eu a amo. Não amo vc. Não quero te magoar, mas oq eu posso fazer? Gostaria q vc nos deixasse em paz, e não ficasse magoada, então o jeito é não falar com vc e esperar q vc desista desse amor adolescente e acorde um dia."

Eu mereceria ouvir cada uma dessas palavras.
No entanto, quem sou eu pra afirmar q ele pensa isso mesmo? Não sei nem de mim. E tô aqui, especulando sobre a vida de quem eu digo amar, só pq ele é feliz e eu não.
(Mas que a mulher dele é uma falsa que não vale nada, isso é. Pq ngm me leva a sério?)

Mudando totalmente de assunto, xo falar do centro espírita.
Eu sei q a maioria por aqui é católica/evangélica, e aprendeu q isso não presta, mas afinal só aqui eu posso falar disso pq minha mãe é uma porta ignorante (#prontofalei). Ela não quer ouvir e ignora se eu disser. Mas afinal, oq ela não ignora sobre mim, não é mesmo?
Vamos lá.
Na quarta eu fui no Centro Espírita com o Gui. Ele pediu, se sentiu atormentado e fomos. Ele falou com o médium e esperamos a sessão começar. Antes de começar, porém, o tiozinho/dirigente/sei lá oq apontou pra gente e ouvi ele dizer "aqueles dois, ali, sentados de mãos dadas" (eu fico de mão dada com o Gui o tempo todo, além de irmão de coração, ele é gay, né)e levaram a gente pra uma salinha pra fazer um descarrego particular. Eu to usando esses termos pq não sei os termos corretos, mas assim, colocaram eu, ele e mais uma mulher no meio de uma roda de médiuns q tavam mandando os espíritos pra luz, sacam? E tinha uma médium xarope (não vou com a cara dela) no meio da roda com a gente falando pra gente se concentrar e tals. Ficou pegando no meu pé, fez os médiuns segurarem minhas mãos pra cima (WTF?), acho q pra mandar sei lá oq embora, e no final ela virou pros outros dois q estavam junto e perguntou se estava tudo bem e tals, e pra mim em vez de perguntar se eu tava bem ela diz "Se vc quer ajuda, tem q aprender a se concentrar".
Minha vontade era mandar ela tomar no cú. Eu tava tão zonza com a coisa toda  q nem me ocorreu, na hora dizer "e quem disse que eu queria ajuda??? Só vim acompanhar meu amigo e vcs acham q eu to na Igreja da Graça ou coisa assim".
Enfim, eu de fato fiquei melhor depois daquilo (mas não muito). Me ocorreu que talvez meu problema seja realmente espiritual. Uma vez me disseram q algumas pessoas tem meidunidade e não desenvolvem e ficam, tipo, bom, eu, meio perdidas e perturbadas ao longo da vida. Será q funcionaria? Ou eu posso, tb, ir direto a deus depois de me matar e dizer: "É assim, fidaputa? Ficou me punindo só de sacanagem pq eu não usei o seu tão falado "dom"?? Pois toma, não usei mesmo!"

E eu tenho pensado um bocado em suicídio. Não como meio de me livrar da dor. A apatia e a angústia meio que engolem a dor no meu caso. Só que eu acho q seria mais... digno, mais correto. Pôr um fim nessa existência patética. Livrar as pessoas q eu amo (as poucas q eu ainda amo e muito menos pessoas me suportam) desse meu arrastar de correntes, dessa minha nuvem negra, dessa aura de energia negativa e autocomiseração. E tenho um puta medo de os espíritas estarem mesmo certos. Pq aí, além de estar solenemente ignorando e fazendo mal uso doq eles chamam de dom, eu ainda ia parar num vale de desespero por um tempo indeterminado.
Não, brigada.

E ainda assim, será q não seria mais digno? Eu mesma ando com nojo de mim. Da vida q levo. Da covardia que me faz passar um dia inteiro sem nem levantar pra pentear o cabelo, só deitada lendo. Meg Cabot, não oq eu deveria ler, um ganhador do nobel de literatura, mas um livro de 300 e poucas páginas escrito pra meninas de 15 anos.

Resolvido. Eu tenho ignorado tão solenemente uma determinada matéria de faculdade (que me lembra o quão burra eu sou), que acho que sou capaz de ignorar toda a minha patética existência.
Taí pq eu não blogo mais. Escrever implica em reflexão, e disso eu não sou mais capaz sem me partir aos pedaços.

Ah! Antes de ir embora, mais uma coisa.
Uma amiga me mostrou um site bem legal, onde vc posta vídeos e imagens de qualquer coisa q vc goste, e "favorita" imagens de outras pessoas q vc goste eu fico roubando imagens de lá pra por aqui, rs.
Fui fazer minha conta e me bati. Pensei "faço uma conta off? Mas daí não posso salvar imagens de anna e mia. Vou fazer uma conta só de anna e mia...."
Daí fiquei com preguiça. E mais por preguiça doq qualquer outra coisa - além do fato de que ele não está tão interessado mais na minha vida, (e se algum amiguinho dele estiver e ficar fuçando blogs pró-anas, foda-se) não vou mais me preocupar tanto em usar máscaras. Não vou sair feito uma louca dando a vcs meu nome, rg, cpf (ou os dele! Embora eu só tenha o nome, rá), não vou ter tanto trabalho de esconder pq se ele quiser mesmo descobre. Da última vez foi assim. A diferença é q agora eu não me importo tanto.
Voltando ao site, é o We (L) it. (Não consegui colocar um coração aqui ¬¬). O link do meu dashboard lá é www.weheartit.com/pribunny . Visitem pq é bem legal e a gente consegue milhões de imagens legais pros blogs ^^ (inclusive a desse post. Não tem nada com o assunto, mas eu não achei a q eu queria.

Por enquanto chega. Quando eu estiver mais animadinha, volto.
Bjs!

2 comentários:

Butterfly Blue disse...

Affff....post comprido msm....e a situaçao ta dificil hein miga....
So posso te desejar melhoras....ve se nao some

*Pandora* disse...

Oi Bunny,

Olha, todas nós temos momentos de desânimo. Mas vc precisa acreditar em vc mesma e ter consciência de que a força está dentro de vc, só depende do quanto vc quer atingir a sua meta.

Fiz um blog novo, quando puder passa lá.

:)